FUNDADORES


SERGIO BORE - PILAR BENITEZ

 


 


Sérgio Boré
Sérgio Boré
fez um longo caminho desde a sua cidade natal, Porto Alegre, através do mundo do som e do ritmo. Viajando rumo ao norte desde os anos 70, descobriu as complexas tradições rítmicas do seu país e foi, ele mesmo, cedo descoberto pela " crème de la crème " da riquíssima cena de música popular do Brasil.

Criou ritmos para gigantes da música brasileira, gravou mais de 150 álbuns com diferentes artistas e se tornou um conhecido artista de alcance internacional. Autodidata, Sérgio não só é um mestre do ritmo, mas assim como outros brilhantes percussionistas brasileiros, do som em geral. Ele evoca todas as cores das vibrações do seu arsenal de instrumentos e finalmente adiciona sua voz. Sua música é intensamente alimentada de espiritualidade. Em 1983 criou seu próprio projeto musical chamado Tambores Urbanos. A idéia é de sempre convidar músicos amigos para que contribuam com a sua criatividade. A música fala de liberdade e improviso e Sérgio não hesita em chamá-la de música livre brasileira.

Seus dois últimos álbuns, os CDs Tambores Urbanos e Intuição de Tupã, foram lançados simultaneamente na Europa, Japão e USA. Mas sua arte tem mais a oferecer: colabora extensivamente com grupos de teatro e dança e compõe trilhas sonoras para filmes. Mais palavras poderiam ser ditas sobre esta música, mas é muito mais importante simplesmente escutá-la.

Escutem a suave mágica do steel drum tocado a dedos nus, aos driving beats que impõe a seus inúmeros tambores e você inevitavelmente será levado a um mundo de ritmos, intuição e espaços de sons. Fronteiras, então, serão removidas.

Dr. Martin Soekefeld, etnólogo alemão. Hamburgo - 1997.

Boré, é como se eu quisesse invadir o céu com desapropriadas armas, tentar dizer com palavrinhas o que tua música me diz. Meu coração bate que bate ao som desse teu batuque. Como raciocinar a mágica da tua música?

Se ao menos eu visse a vida com os ouvidos mas eu apenas a escuto com as palavras e elas, se valem para alguma coisa, devem ser usadas para saudar o que é bom. Mas ressaltar o quê nesse conjunto de ótimas feras, pergunto eu intrigado?

Enfim, quem não divaga ao som de teus tambores urbanos, tão bons e malandros, ou como diria um brazilianist, " very tribal ". Outrossim me quedo a decir que tu sonido sona merengue, el Caribe, quilombola, bolaste ?

batuque, bitaque, batique, bitoque.

Pois é, Boré, há quem se toque, mãos amigas, e na muralha da China batuque para que as ondas que circulam entre essa babel e o infinito silêncio, sejam redondamente redondas.

Por isso meu nego, não me nego a dizer que me apego a esses teus tambores tão bons, a esse ritmo que flui de cada sulco dessa bolacha quente como asfalto nas noites de carnaval. Vai, ogan da Central, esquentar o couro dos corações ardentes!...

Chacal, poeta. Rio de Janeiro - 1983.

"Brazilian born Sérgio Boré is one of the world`s leading percussionist/songwriters. Sérgio is a master of percussion in all its forms and textures, including the complex rhythmic traditions of the Brazilian Northeast. Sérgio`s music transports one to a spiritual place. He evokes colors and emotions, creating beautiful rhythms from percussive instruments and strengthening them with unforgettable melodies ".
Jared Hoffman, president of Instinct Records. New York, 1997.

 

"Boré is a superb Brazilian percussionist and Tambores Urbanos is compelling without sounding outright commercial. A melange of samba, bossa-nova, guaguancó and other African derived rhythms. Tambores urbanos gets its urban ethos and radio appeal from its deployment, on various tracks, of electric and bass guitars, Fender Rhodes keys, some synths and horns and vocals. Wisely, this pop styled music, while predominantly percussive, isn`t overdone and slicked up. Authentic ethnic elements, acoustic guitar among others, add a savory naturalism. Leader Boré enlists the support of several prominent guests, including acoustic guitarist João de Aquino and keyboardist Hugo fattoruso. Contemporary-jazz jocks with the freedom to fashion their own mixes should have fun with Tambores Urbanos, a damnably danceable anthem".
Twenty-four New York,16.10.1995.

Catchup vs. Salsa - The small print on the cover says " This is acid jazz ". Well...I don`t know about that, but Tambores Urbanos is certainly jazz of the best kind: rootsy, rhythmic and original. Percussionist Sérgio Boré hás connections that the press release góes to great lengths to exploit, but more importantly, he has funk and soul, and in an acoustic riot of drums, xylophones, guitars, horns and bass he has completed a Brazilian journey that will rock your feet. Classic nuevo-Brazilian jazz runs rampant in the world ( how can one country have so many good musicians? ) and this is right up there for energy, talent ideas.
New World New York, 1995.

 

Alguns tópicos na carreira de Sérgio Boré:

1972 - O início com A Margem, seu primeiro grupo em Brasília. Nos ares da revolução ideológica, rebeldia à ditadura militar e atitude pró natureza.



1975 - Muda para o Rio de Janeiro, tornando-se músico profissional.

1976 - Com Geraldo Azevedo gravou dois Lps : " For all para Todos " e " Geraldo Azevedo".

1977 - com Zé Ramalho na tournée nacional de Avohai.
1977 - Refavela. Um ano na estrada com Gilberto Gil e Banda.



1978/1980 - Com Tim Maia, Elza Soares, Sandra de Sá, Hermeto Pascoal e Fagner. Com eles também atuou ao vivo e em gravações.

1978/1981 - Integrante da banda de Gal Costa em "Gal Tropical". Tournées pelo Brasil, Argentina, Japão, USA, Portugal e Suíça. Gravou os álbuns Gal Tropical e Aquarela do Brasil com a cantora.





1981/1983 - Com Nei Matogrosso, durante quase 3 anos participou de tournées pelo Brasil, Portugal, Suíça e Israel no show Mato Grosso. Gravou o LP Mato Grosso com o cantor .

1982 - A gravação do primeiro álbum "Tambores Urbanos...Mãos Amigas", no Rio de Janeiro, e a criação do seu grupo Tambores Urbanos. Representa o Brasil, ao lado de Manduka, no Festival de Nuevo Canto Latino Americano na cidade do México.

1987 - Vai para a Europa com as idéias, músicas e músicos de Tambores Urbanos. Lá, grava e produz os três próximos álbuns de sua carreira artística em 91, 95 e 97.

Duas temporadas marcantes com Tambores Urbanos foram em 1993 com a tournée "Intuição de Tupã" por vários países europeus, e a participação de Jorge Degas, Wolf Kerschek e Bocato.






E em 1995 com Turinamyê, divulgando o CD Tambores Urbanos, lançado na Europa, Estados Unidos e Japão.

Nesse período Sérgio também atuou como músico instrumentista.

- Entre 87 e 94 com Audrey Motaung, com a cantora /compositora sul-africana. Tournées pela Europa. Gravou dois discos com ela: African Sun e Lights.

- Com a Family of Percussion , grupo de Jazz do baterista suíço Peter Giger, entre 1989 e 1995. Shows, gravações e workshops na Europa e África.


- Com o Carolyn Carlson Dance Company participou do Festival de Dança Contemporânea de Chateauvallon em 1990.









- 1997 - volta ao Brasil com a semente do projeto Casa de Tupan, ao lado da mulher Pilar Benitez, e dos filhos Pedro Tupã e Benjo.

- Muda para Arraial d'Ajuda. Inicia a construção de Casa de Tupan.

- 2000 - Grava o CD REZA, em Brasília, ao lado do trombonista Bocato e do guitarrista Marcelo Munari.

- 2002 - a fundação oficial da Casa de Tupan, iniciando as suas atividades públicas.

 


TOP - SERGIO BORE

Maria del Pilar Benitez Cáceres

Nascida em 28 de Outubro de 1958, em Santiago de Chile.
Passaporte 8087.480-4, da República do Chile.
CPF: 053884207-52 RNE: V 195193-0 -
( residência permanente)
Estado Civil: Casada

1964-72 - Curso Escolar de lº Grau.
1972-76 - Conclusão do 2°grau e vestibular.
1977-80 - Estudo de educação infantil e pedagogia musical para o 2º grau na Universidade Austral, em Valdívia, Chile.
1981 - Curso intensivo da língua alemã na Universidade de Muenster, Alemanha.
1983 - Organização na área cultural do Congresso Internacional " Liberdade para o Chile ", Alemanha.
1984 - Trabalha como assistente na cátedra de pós-graduação de pedagogia na Universidade de Hamburgo, Alemanha.
1985 - Início dos estudos de Comunicação Visual na Escola Superior de Belas Artes de Hamburgo, Alemanha.
- Organização e produção da exposição do pintor chileno Hugo Riveros, na Escola Superior de Belas Artes de Hamburgo, Alemanha.
1987 - Produção, organização e programação visual dos concertos do músico brasileiro Sérgio Boré & Tambores Urbanos.
- Estágio na gráfica Druckerei St. Pauli, em Hamburgo.
- Coordenação de aulas de fotografia no Centro Cultural St. Georg, Hamburgo, Alemanha.
1989 - Preparação final teórica e prática dos estudos de Comunicação Visual com um projeto de filmagem em 16 mm.
1990 - Filmagens em Chiloé, no sul do Chile.????? - Assistente de produção do documentário " Passion Recherche ", da cineasta alemã Ulrike Schaz, Hamburgo.
1991 - Produção artística e programação visual do CD " Bicho do Mato ", de Sérgio Boré & Tambores Urbanos.
1992 - Trabalho final para o Diploma: " Material teórico com relação ao ódio ", para a Universidade de Hamburgo.
1993 - Exame final na Escola Superior de Belas Artes de Hamburgo, obtendo a aprovação com distinção e nota máxima.
1994 - Trabalho com documentação fotográfica da ONG " Da Vida ", para a ajuda e encaminhamento social de prostitutas, ex-prostitutas & filhos, no Rio de Janeiro, Brasil. - Assistente de produção no Canal 8, estação de televisão em La Serena, Chile.
- Assistente de câmera e som para o curta-metragem " Mama Gallo ", em 16 mm., para a Segovia Film GBR, em Hamburgo na Alemanha.
- Trabalho de recuperação social de jovens nas ruas, em Hamburgo na Alemanha.
1995 - Organização e produção artística do projeto musical e Tournée européia de " Turinamyê ", do músico Sérgio Boré, em colaboração com a Secretaria de Cultura do Estado de Hamburgo.
- Produção da peça teatral infantil " Pepa Penélope ", de Sabine Hangstler e Jutta Gorlach, em Hamburgo.
1996 - Produção artística e programação visual do CD Intuição de Tupã , do músico Sérgio Boré, em Hamburgo, Londres e Nova York.
1997 - Trabalhos fotográficos na favela da Rocinha, Rio de Janeiro, em colaboração aos movimentos sociais pró-menores e maiores carentes, patrocinado pelo Departamento para Serviços no Exterior da Igreja Luterana da Alemanha.
1998 - Mudança para o Arraial d"Ajuda.
- Início da construção da Casa de Tupan.
1999 - Guia de turistas na Agência de Viagens Porto Seguro 5. - Guia de turistas na Agencia Taipe de Viagens e Turismo.
- Produção e realização da série de eventos artísticos populares Arte na Praça.
2000 - Organização, produção e programação visual do CD Reza , do músico Sérgio Boré. Arraial d"Ajuda e Brasília.
- Produção e organização da série de eventos Arte na Praça /Orquestra da Lua Cheia.
- Recepcionista na Pousada Los Mandalas - Recepcionista na Pousada Casarão do Mucugê.

 

Escola Superior de Belas Artes de Hamburgo
A Presidente K 111 10 de janeiro de 1994.
Certificado

A Seção de Comunicação Visual é um curso ministrado na Escola Superior de Belas Artes de Hamburgo.

A Escola Superior de Belas Artes de Hamburgo refere-se, neste curso, à tradição humanista, isto é, os estudos tem, por conseguinte, o objetivo de fomentar um processo de desenvolvimento e qualificação pessoal, a saber, o desenvolvimento da personalidade artística. Após a conclusão do curso, aquele que acabou os estudos tem a capacidade de ver e entender relações próprias à matéria, de expressar de forma autônoma e cooperativa problemas de comunicação visual, de os refletir e de os solucionar; o egresso adquiriu os conhecimentos e os métodos artísticos, técnicos e científicos necessários para a respectiva prática profissional e é capaz de os aplicar.

A formação básica é ministrada nas matérias seguintes:
Fotografia de documentação; filme e vídeo de documentação; tipografia e media de imprensa; filme experimental; reportagem com fotos e texto; gráfica aplicada; meios de atividade, filme encenado; filme de desenhos animados; desenhos. Para aprofundamento destas matérias, durante o curso estas são reunidas nos cursos seguintes: media de publicação, filme, gráfica aplicada.

E essencial desse curso é a aquisição de conhecimentos e capacidades para o exercício autônomo de uma profissão na área da comunicação medial, sobretudo fora dos padrões profissionais tradicionais no âmbito visual. Os que tiverem acabado o curso são capazes de transportar, no desempenho da sua profissão, com imaginação, de maneira crítica e socialmente responsável, as experiências e os conhecimentos de expressão medial.

O Diploma de Comunicação Visual, assim como os estudos de aprofundamento estão de conformidade com o Regulamento de Exames para o exame de diplomação e do Regulamento dos Estudos de Aprofundamento do curso de Comunicação Visual na Escola Superior de Belas Artes de Hamburgo,

( Diário Oficial, Parte II do Diário Oficial do Estado de Hamburgo, Alemanha, número 142/1984).

Ass. : G. Netzbrandt. .v.v.
(Tradução legalizada do diploma de Maria del Pilar Benitez Cáceres)

TOP - SERGIO BORE - PILAR BENITEZ

 
 
Alto do Mucugê - Arraial d'Ajuda CPC 307 - Cep 45 816.000 - Bahia - Brasil. Tel.: (5373) 575-2206
e-mail:        casadetupan@hotmail.com.br        sergiobore@yahoo.com